#MetGala | The Silver Issue

“Manus x Machina: Fashion in an Age of Technology”

E a partir disto está lançado o mote para tentar justificar todos os metálicos dos Silver Globes da noite passada. Ah, foi a Gala Met, lamento o equívoco.

Sim, eu sei que a maioria adorou, é tudo incrível e tal mas expliquem me, entre todo o copy-paste que se fez sentir, tanto em cor como em silhueta [sim, aqui podíamos discutir a questão da estandardização da moda pelas grandes cadeias, o que faz com que na realidade o tema tenha sido muito bem conseguido já que muitas celebridades foram vestidas de forma muito semelhante], onde é que as armaduras metálicas vão de encontro à temática? A industrialização da moda, tecnologicamente falando, vai muito além da tão óbvia mecanização do processo de produção. Por isso não, não me digam que foi bom quando foi básico, comum e pouco criativo. Tudo aquilo que deve ser contrariado num baile deste gabarito, onde o que mais se quer é invulgar e grandiosidade.

E sou só eu a estar fartinha da Balmainização das passadeiras vermelhas com a presença das pseudo-divas do Olivier Rousteing? Sempre a mesma silhueta, mesmo corte de busto, tão boring, boring, boring. Uma pena que até a Cindy Crawford tenha se juntado a este clube.

Mas quem fala em Balmain, fala em Louis Vuitton e a sua versão fancy rockability , tão casual que também não se adequa em nada a uma gala deste género. Um luxuoso Grunge básico, será suficiente para descrever a linha da marca neste momento?

Mas entre outras ‘desgraças’, não pensem que esteve tudo perdido. Entre as poucas lufadas de ar fresco, houve quem ganhasse muitos pontos. Foi o caso da Zoey Deutch, da Karolina Kurkova, Adriana Lima e da Zoe Saldana. Elegantes e cheios de detalhe, das melhores vestidas da noite sem qualquer dúvida. Porém, enquadram-se a rigor na temática? Talvez não,  são elaborados sim mas não preenchem de todo os ‘requisitos tecnológicos’.

zoe-saldana.jpg
Zoe Saldana em Dolce & Gabbana

Apesar de ainda ter visto alguns pela passadeira que poderiam ir de encontro ao tema, entre uns mais ecológicos mas pouco tecnológicos, apenas um consegue atingir todo o requisito temático. Sim, nem mais nem menos que o vestido de Zac Posen usado pela actriz Claire Danes. Muito simples e elegante de luzes ligadas mas no escuro uma verdadeira surpresa. Uma pena que nem a Vogue consiga reconhecer este vestido como um dos melhores da noite. Afinal este vestido é o sinónimo de tecnologia a favor da moda.

claire-danes

_

E bem podem dizer que sou conservadora, no que toca a galas e vestidos, sim sou!

 

 

Anúncios

2 comentários sobre “#MetGala | The Silver Issue

  1. O vestido da Claire Danes é brilhante! Literalmente, eu sei, mas refiro-me ao conceito, à representação da era tecnológica na indústria da moda, principalmente, inserida num evento como este. Quem disse que elegância e tecnologia não conseguem andar de mão dada? Muito pelo contrário…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho que a ideia deste tema era mesmo provar isso, pena só ter sido o dela a ir de encontro a essa ideia! tudo tão básico e sem visão… uma pena que nem os próprios designers não se tenham desafiado nesse sentido! [deviam estar aqui também os dos vestidos da Beyoncé e da Emma Watson pelos materiais utilizados, mas achei-os um bocadinho sem sal vá]

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s